Diversidades do Mercado Central

Mercado central que anteriormente era chamado Mercado Municipal de Belo Horizonte, foi criado pelo então prefeito Cristiano Machado em 7 de setembro de 1929. Sua entrada principal e pela avenida Augusto de Lima, seu galpão ocupa um quarteirão do centro de Belo Horizonte.

ÍndiceEm 1929 o mercado funcionava como um centro de distribuição de alimentos em um campo aberto e com barracas. Em 1964 o mercado foi comprado por um grupo de comerciantes que fundaram uma cooperativa e deram inicio a reconstrução do mercado. O local passou a ter cobertura metálica, estacionamento e ganhou uma capela para abrigar a imagem da virgem de Fátima e ainda ocorreu as reformas das barracas.

O mercado central hoje é um dos cantinhos mais visitados da cidade, com uma mistura de cultura popular, tradição, culinária, artesanato, e uma grande diversidade se encontra um pouco de tudo nesse cantinho mineiro. Encontra-se  tempero ou ingredientes para fazer uma comida mineira, artigos religiosos, todos os tipo de ervas, floricultura, artesanato mineiro, animais de estimação, os famosos queijos e doces e até mesmo a comercialização de roupas e brinquedos. Para quem quer apenas dar um  passeio para conhecer o mercado pode aproveitar  os barzinhos para tomar uma cerveja gelada e colocar a prosa  em dia, os comerciantes mais antigos dão uma aula e contam um pouquinho da história de Belo Horizonte.

O Mercado é daqueles lugares que você vai, volta e volta de novo porquê  sempre vai ter algo para ver, comprar e comer. Para os turistas, visitar o Mercado é um programa obrigatório, é bem verdade que os preços não são mais baixos que os de outros lugares, mais estar no mercado central é ter a possibilidade de  vivenciar um pouco dessa cultura que encanta.

3 Endereço: Avenida Augusto de Lima, 744 – Centro

Complemento: Próximo ao Minascentro

Telefone: 31 3274-9434

Horário de Funcionamento: 2ª a sáb. das 7h às 18h, dom. e feriados das 7h às 13h.

Feira Tom Jobim

feira-tom-jobim_foto-5

A Feira Tom Jobim acontece na Avenida Carandaí, no bairro Funcionários (região hospitalar) e reúne música ao vivo, comidas típicas, e antiguidades, em um total de 20 barracas.

A localização original da feira era na Av. Bernardo Monteiro, mas por ordem da Prefeitura tiveram que se mudar, pois haviam ameaça de moscas nas enormes figueiras da avenida. A nova localização também é super agradável, com arvores que dão sombra às mesinhas que ficam no meio da feira, e é aí que vem a melhor parte, é só se sentar para que umas das moças que trabalham na feira nos atenda, nos servindo a qualquer barraquinha que há por lá. Das diferente comidas é possível saborear, bolinhos de feijão, costelinha, porções de kibe, pastel frito, feijoada e outras comidas típicas. Além disso, para quem curte uma cervejinha, eles servem as latinhas dentro de um isopor para que a pessoa não se preocupe quanto à sua temperatura, apesar de não beber, achei muito válida a ideia.

antig

A parte de antiguidades é uma delícia de se ver, cheio de coisas no estilo vintage, melhor ainda para os criativos de plantão.

antig 2222222222222222

Esse é mais um daqueles lugares para ir e se apaixonar e contar para os amigos. Vale a pena conhecer.

A feira se inicia às 10:00 horas, todo sábado.

Inclusão digital em BH

A prefeitura em Belo Horizonte vem ampliando seu programa de inclusão digital, agora pessoas que estiverem na capital mineira podem acessar a internet de graça através de pontos de wi-fi disponibilizados pela prefeitura, esses pontos de acesos são lugares públicos de grande movimento, como praças, parques, vilas, aglomerados e ruas da área central.

Para usar e simples, basta acessar a rede BH digital e preencher um cadastro que aparecera automaticamente, nesse cadastro ira requisitar nome, e-mail, telefone, CPF e data de nascimento, para estrangeiros apenas o numero de passaporte. O usuária poderá acessar a a qualquer conteúdo três horas por dia e terá acesso ilimitado ao site da prefeitura.

Confira os locais de acesso:

Parques e Praças

Parque Ecológico da Pampulha (avenida Otacílio Negrão de Lima, 7.111, Pampulha)
 Parque das Mangabeiras (avenida José do Patrocínio Pontes, 580, Mangabeiras)
 Parque Municipal (avenida Afonso Pena, 1.377, Centro)
 Parque Serra do Curral (avenida José do Patrocínio Pontes, 1.951, Mangabeiras)
 Praça da Assembleia (avenida Olegário Maciel, 2.050, Santo Agostinho)
 Praça da Estação (avenida dos Andradas, 367, Centro)
 Praça Floriano Peixoto, no bairro Santa Efigênia
 Praça da Liberdade, no bairro Funcionários
 Praça do Papa, no bairro Mangabeiras
 Praça Sete, no Centro
 Praça Raul Soares, no Centro

Acesso Público

 Arquivo Público (rua Itambé, 227, Floresta)
 BH Desemprego (rua Gonçalves Dias, 1.922, Lourdes)
 BH Resolve (avenida Santos Dumont, 363, Centro)
 BHTrans (avenida Engenheiro Carlos Gourlart, 900, Buritis)
 Casa do Baile (avenida Otacílio Negrão de Lima, 751, Pampulha)
 Centro de Apoio Comunitário Alto Vera Cruz (rua Padre Júlio Maria, 1.550, Alto Vera Cruz)
 Centro de Cultura de Belo Horizonte (rua da Bahia, 1.149, Centro)
 Centro de Referência Audiovisual (rua Álvares Cabral, 560, Centro)
 Centro de Recondicionamento de Computadores (rua José Clemente Pereira, 440, Ipiranga)
 Defesa Civil Municipal (rua dos Goitacazes, 1.752, Centro)
 Expominas (avenida Amazonas, 6.030, Gameleira)
 Fundação Municipal de Cultura (rua Sapucaí, 571, Floresta)
 Guarda Municipal BH (avenida dos Andradas, 881, Santa Efigênia)
 Museu de Arte da Pampulha (avenida Otacílio Negrão de Lima, 16.585, Pampulha)
 Palácio das Artes (avenida Afonso Pena, 1.537, Centro)
 Rodoviária (Praça Rio Branco, 100, Centro)
 Zoológico (avenida Otacílio Negrão de Lima, 8.000, Bandeirantes)

Vilas e aglomerados

Jardim Leblon
 Jardim Guanabara
 Mariano de Abreu
 Morro do Papagaio
 Pedreira Prado Lopes
 Vila Antena
 Vila Aparecida
 Vila Cabana
Vila Cemig
 Vila Conceição
 Vila Fazendinha
 Vila Fátima
 Vila Havai
 Vila Ipiranga
 Vila Jaqueline
 Vila Mantiqueira
 Vila Marçola
 Vila Novo São Lucas
 Vila Ouro Preto
 Vila Pompéia
 Vila Santana Cafezal
 Vila Taquaril
 Vila Vera Cruz

Fonte: Portal PBH

A ascensão do rugby

RUG

No campo 30 fortões correm, empurram-se e derrubam uns aos outros. Vale agarrar, puxar e meter a mão aberta no rosto do adversário. Na verdade, quase tudo é permitido para que se impeça o time adversário de marcar um ponto.  O objetivo do jogo é fazer a bola cruzar a linha do gol no fundo do campo e apoia-la no chão.

Para os olhos de um leigo, à primeira vista o rugby parece o futebol americano praticado sem os enormes equipamentos de segurança. No entanto,  seu jogo é mais fluído e suas regras e posições variam muito. De forma geral, o importante é saber que a bola pode ser chutada para frente, e o passe com as mãos só pode ser feito para o lado ou para trás.

RUG2

Embora a bola possa ser segurada, a lenda mais famosa sugere que o esporte surgiu de uma jogada irregular durante uma partida de futebol tradicional em 1823. Na qual William Webb, um aluno na cidade inglesa de Rugby, pegou a bola com as mãos e correu em direção ao gol, enquanto seus oponentes tentavam segurá-lo.

A Copa do Mundo de Rugby é o terceiro maior evento esportivo, perdendo em audiência apenas para a Copa do Mundo de Futebol e as Olimpíadas.  Adorado nos cinco continentes, já se tornou o segundo esporte mais praticado do planeta, e é extremamente popular especialmente nos países que sofreram colonização inglesa. No Brasil, a seleção feminina se destacou com glórias, sendo considerado o melhor da América Latina.

the_spirit_of_rugby_4101051Por ser um esporte de extremo contato físico, é associado a violência. Entretanto, por mais que o embate faça parte do jogo, o perigo é o mesmo de qualquer outra modalidade, inclusive da pelada do fim de semana. Há todo um treino e técnicas específicas para que não haja acidentes. Ainda que possa atrair ogros e trogloditas com desejo de se engalfinharem em campo, a desilusão será certeira. A filosofia por trás do esporte é de profundo respeito e companheirismo. É exigido que todos se tratem por senhor e que somente o capitão do time pode dirigir a palavra ao árbitro, que por sua vez, deve ser igualmente respeitado em suas decisões. É considerado um bom atleta aquele que entende a hierarquia e disciplinas necessárias ao jogo.

O respeito que surge pelo amor ao esporte como ponto de união, transparece nas torcidas que torcem lado a lado nas arquibancadas. Esta magia deu origem a sua característica mais inusitada, o terceiro tempo das partidas, quando obrigatoriamente o time da casa deve receber o time adversário para uma confraternização com bastante cerveja, música e diversão.

Superando o mito de um esporte perigoso, ele volta às Olimpíadas justamente nos Jogos do Rio em 2016. E tem atraído cada vez mais patrocinadores e adeptos, se tornando o esporte coletivo que mais cresce no Brasil. Em Belo Horizonte não é diferente,  e se tornou uma moda entre os universitários. Os times da cidade fazem treinos abertos ao público que deseja participar.  Não deixe de conferir e apoiar nossos atletas.

LONDON, ENGLAND - DECEMBER 01:  Ben Youngs of England tackles Kieran Read of New Zealand during the QBE International match between England and New Zealand at Twickenham Stadium on December 1, 2012 in London, England.  (Photo by Hannah Johnston/Getty Images)

O time feminino Alpha Rugby Clube treina às segundas e quartas das 20h às 22h no prédio da Ed. Física da UFMG e aos sábados das 14h às 17h no Parque Ecológico da Pampulha (Esplanada).

Os times feminino e juvenil do Inconfidência, treinam somente aos sábados, às 14:30, juntamente com o time masculino, que também treina as quartas-feiras às 20h no campo da FAE- UFMG (Pampulha)

E o pentacampeão mineiro, o BH Rugby, que treina na UNI-BH, na Rua Libero Leone, nº 259, Buritis. Horários por categoria:

Terças e Quintas

  • Novatos: 19:30h às 20:00h
  • Masculino Juvenil: 19:30h às 21:00h
  • Feminino: 20:00h às 22:00h
  • Masculino Adulto: 20:30h às 22h30

Sábados

  • Infantil: 10h00 às 11h30
  • Novatos:11:00h às 12:00h
  • Masculino Juvenil: 11h00 às 13h00
  • Feminino: 13h00 às 15h00
  • Masculino Adulto: 13h00h às 15h30

Sabino, de Belo Horizonte para o mundo

Belo Horizontino, Fernando Sabino é apenas mais uma das personalidades que traz orgulho a Minas e ao Brasil. Escritor e Jornalista, nasceu em 12 de outubro de 1923, um garoto precoce, escreveu seu primeiro texto aos 13 anos, publicado por uma revista da polícia mineira. Seu primeiro livro publicado foi Os grilos não cantam mais, em 1941. Com diversas obras conhecidas, algumas foram adaptadas para o cinema como: O homem nu e O grande mentecapto.

Fernando-Sabino

Sabino era um homem do Brasil e do mundo, fez o curso primário no grupo escolar Afonso Pena em Belo Horizonte, Cursou direito na Universidade Federal do Rio de Janeiro, em 1946 muda-se para Nova York onde fica dois anos, e foi lá que iniciou o romance O Grande Mentecapto que só finaliza  o trabalho 33 anos mais tarde. O escritor também já morou em Londres, e viajou por diversos países da Europa, América e extremo oriente.

“De tudo ficaram três coisas: a certeza de que ele estava sempre começando, a certeza de que era preciso continuar, e a certeza de que seria interrompido antes de terminar. Fazer da interrupção um caminho novo. Fazer da queda um passo de dança, do medo uma escada, do sono uma ponte, da procura um encontro”.

Trecho do livro Encontro Marcado.

Além do talento por qual é reconhecido, Sabino quando mais jovem, já foi escoteiro, nadador, já prestou serviço militar, professor de português e funcionário da secretária de Finanças do Estado de Minas Gerais. Isso são penas alguma das funções já exercidas pelo mestre.

Fernando Sabino faleceu em 2004, porém seu legado ficou, enchendo de Orgulho sua terra Natal. Quem ainda tem dúvidas que Belo Horizonte é um lugar especial?

Belo-Horizontino e o seu “Mineirês”

A cultura brasileira tem um valor inestimável e disso nós sabemos bem, cada cidade, cada cantinho está encharcado por esse jeitinho nosso de viver a vida. Em Belo Horizonte não é diferente, cidade marcada pela sua gastronomia de boteco como é conhecida em todo o Brasil, iniciou o concurso “Comida di Buteco” que se estendeu para além das fronteiras do sudeste, reunindo grandes cidades de todo o país para eleger os melhores petiscos. Um grande famoso é o queijo minas, artesanal, branco coalhado, é um patrimônio imaterial.

queijo minas

Uma mistura da herança cultural de diversas etnias que construíram o nosso estado com muito trabalho e suor, principalmente durante a escravidão e exploração das minas de ouro. Uma vasta qualidade de doces e geleias, receitas eternas passadas de geração em geração, como o frango com quiabo.

doces

 Além disso, há muito mais a se conhecer da música, artesanato, literatura, dança, vale ressaltar a riqueza da arquitetura, principalmente no período barroco, notável pelo estilo escultural de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho. Lugares inesquecíveis como o complexo arquitetônico de Oscar Niemayer, a Praça da Liberdade e o Palácio das Artes, um dos maiores núcleos artísticos da América Latina.

barroco

Porém Belo Horizonte oferece algo muito mais próximo também, a cultura subjetiva que integra a nossa sociedade.

Ir a padaria comprar “pão de sal” ou beber em um “copo lagoinha” e não ser entendido pela maioria da população brasileira.

copo

Não se importar quando falam que “ali” nunca é ali na esquina e que talvez daqui uns cinco quarteirões seja realmente o “ali”. Comer o famoso “franguim” com “quiabim”, ou o “pãozim” de “queijim” com um “cafézim”.

cafezim

Chamar homem de “sô” e mulher de “sá”.  Visitar a “trabanda” (outra banda) da cidade. Aceitar tranquilamente que na feira hippie não tem hippies.

feira hippie

Andar de Minhocão no Parque Guanabara…

minhocão

Passear pela cidade no trenzinho do Parque Municipal ao lado do Fofão e do Mickey ganhando balinhas dos pipoqueiros pelo caminho, apesar da sua mãe sempre dizer “nunca aceite nada de estranhos”.

trenzinho

Recusar-se a compreender alguém que nunca tomou Guarapan ou Mate Couro.

mate courpguarapan

É claro, acompanhar todos os dias pela janela do ônibus as inacabáveis obras da Avenida Antônio Carlos.

obras

E não poderíamos nos esquecer, de falar “trem” e “uai” com o genuíno orgulho mineiro e ainda soltar um “aneeeeim” bastante irritado.

Mirante do Mangabeiras

                                               Índice

O mirante do Mangabeiras surgiu inicialmente sem a proposta de ser um ponto turístico, nesse espaço existia a rádio jornal do Brasil a primeira emissora FM de Belo Horizonte. Ao lado do prédio da rádio, foi instalada uma estação de meteorologia que ficou conhecida como ”pracinha do mirante”. Os funcionários da emissora encantados com a vista que o local proporcionava da capital mineira começaram a apresentar o local aos amigos e parentes, o mirante inicialmente foi chamado de ”Alto das Mangabeiras”, depois de um tempo passou a ser chamado de ”Mirante do Mangabeiras”.

Em 1988 a Associação Brasileira de Ensino em Arquitetura propôs  um projeto de revalorização do mirante com a construção de um restaurante panorâmico. Em junho de 1994 ocorreu a primeira reforma do mirante, a prefeitura instalou lixeiras, reconstruiu os pisos e os balcões de proteção. Em 2006, o prédio da emissora foi demolido e em 2012 a Fundação de Parques Municipais passou a administrar o local.

Depois dessa revitalização o mirante passou a oferecer maior conforto aos visitantes, ainda foram construídos dois decks de madeira no local e nova iluminação. Para uma maior segurança dos frequentadores uma portaria controla o horário de funcionamento e a guarda municipal faz o patrulhamento do local 24 horas por dia.

                                                           mi

Endereço:

Rua Pedro José Pardo

N° 1000 – Mangabeiras

Complementos:

Atrás do Palácio das Mangabeiras

Telefone:

31 3246-5030

Horário de funcionamento:

Diariamente das 10h ás 22hrs

 

Pato Fu

pato

A banda meio rock, meio indie, alternativa, foi formada em 1992 por Fernanda Takai e seus dois amigos, John Ulhoa e Ricardo Koctus. Decidiram se chamar Pato Fu em alusão a uma tira em que o gato Garfield lutava gato-fu. Segundo a vocalista Fernanda o nome da banda é devido ao fato dos integrantes da banda serem desajeitados como patos, já o guitarrista John afirma que queria um nome que não revelasse em nada qual seria o gênero musical da banda, que nunca foi de fato definido.

Com mais de 10 álbuns produzidos, a banda foi considerada pela revista Time uma das dez melhores bandas do mundo fora dos Estados Unidos. Os atuais componentes do grupo são: Fernanda Takai, John Ulhoa, Ricardo Koctus, Glauco Nastacia e Lulu Camargo.

Particularmente adoro o som da banda, acho bem original e gostoso de ouvir, a voz mansinha da vocalista Fernanda Takai, faz com que mesmo os sons mais antigos, não se tornem aquele tipo de música enjoativa, que só é boa de ouvir algumas vezes, é gostoso de ouvir, é gostoso de relembrar.

E por falar em relembrar…

A banda se prepara para turnê do novo álbum; Para maiores informações acesse o site.

Para espantar o frio

CALDO

Belo Horizonte vive uma época de frio intenso, as mínimas na capital mineira estão variando entre 16 e 17 graus, em alguns lugares da capital a sensação térmica e ainda menor. Para ajudar a espantar o frio além dos agasalhos os mineiros da capital têm outra opção muito interessante e bem tradicional, os caldos, pratos que todos os mineiros amam.

Tomar um bom caldo além de ser eficaz e um jeito bem gostoso de espantar o frio, por isso listamos lugares em Belo Horizonte para tomar um bom caldo, já que segunda a previsão o frio em BH ainda vai se estender.

Confira nossa lista:

Nonô Rei do Caldo de Mocotó:

Av. Amazonas, 840 – Centro

Restaurante Verdim:

Av. Santa Terezinha, 1000 – Santa Terezinha

Paladino Restaurante Fazenda:

Avenida Gildo Macedo Lacerda, 300 – Braúnas

Rancho Fundo:

Avenida Professor Mário Werneck, 1160, Buritis

André Caldos:

Avenida Raul Mourão Guimarães, 370 – Palmeiras

Aproveite a dica e bom apetite!

BH é amor, subversão e brilho!

RuPaul’s Drag Race

Drag queens estão em alta! E isto se deve muito ao estrondoso sucesso do reality show RuPaul’s Drag Race. A ideia do programa é basicamente juntar várias performistas em um estúdio com muitas perucas, maquiagens e tecidos e realizar várias competições de costura, atuação, dança, canto e humor. Junte a isso várias lições de auto-estima, relatos de superação de preconceitos, brigas, um prêmio de 100 mil dólares e o título de Américas Next Drag Superstar.  A receita deu tão certo que já está em processo a criação de uma versão para o Reino Unido.

No Brasil o programa é transmitido pela Netflix, e embora o canal não forneça dados de audiência, é notório que a atração caiu nas graças do público devido as inúmeras turnês de ex-participantes pelas capitais do país. Na carona desse sucesso, surgiu Glitter, transmitida pela TV Diário, de Fortaleza, e Academia de Drags, feito para o YouTube e apresentado por Silvetty Montilla, a drag queen mais conhecida do País.

sharon-needles-apos-rpdrPara quem não está familiarizado, drag queen é uma forma de arte em que homens se travestem de mulheres de forma cômica ou glamourizada para entreter. Mas muito além de um ofício, ser drag queen é especialmente um ato político e revolucionário. Sua contracultura celebra divas do pop, a feminilidade, e motiva importantes discussões sobre gênero e machismo.

Em Belo Horizonte, há registros de shows de transformismo desde à década de 60, quando a prática era quase que proibida e censurada pela polícia. Segundo Luiz Morando, professor do Uni-BH e pesquisador da constituição das identidades LGBT em BH, um dos locais pioneiros foi o clube Montanhês Dancing, na rua Guaicurus, que no auge da glória chegou a receber o cineasta inglês Orson Welles.

Na última Campanha de Popularização do Teatro e da Dança, várias peças foram estreladas por transformistas, como: Barbeiras, As Monas Lisas, Comédia di Buteco, Amar É uma Comédia, O Nome Dela É Valdemar, Uma Empregada Quase Perfeita e Meu Tio é Tia. Algumas aparecem na lista das mais vistas da campanha. As Barbeiras, estrelada por Kayete, Marilu Barraginha e Will Soares, ficou entre as dez com maior público entre as 161 em cartaz.

As Barbeiras

Por outro lado os shows de drag queens na cidade ainda se concentram em poucas casas como o Matriz, Mary in Heel, a Gruta e Josefine. Muitos locais de festas tradicionais ainda não se deram conta da demanda deste público. Mas isto não impediu o Dj Ed Luiz, a investir nesta arte. Produtor da festa @bsurda, que ocorre a cada 45 dias com muito funk, trash e eletrônico, o evento conquistou todo o público jovem, deixando de ser exclusivamente GLS. Seus organizadores orgulham-se de afirmar que é a festa mais “sem frescuras da cidade”.

Alyssa Edwards e Coco Montrese

No início do ano trouxeram como atração uma das concorrentes do RuPaul’s Drag Race, a Jujubee. O sucesso foi tanto que a próxima edição do dia 18 de junho, terá a presença de Alyssa Edwards e Coco Montrese que roubaram a cena na quinta temporada do programa. A festa irá ocorrer na Josefine, na rua Antônio de Albuquerque, n. 842, Savassi.  Você pode garantir seu ingresso através deste link.

Para quem duvida que as drags estão saindo do armário para reinar de vez os palcos da cidade, já há outro grande evento confirmado. Uma das ex-concorrentes mais queridas e sinistras, a ganhadora da quarta temporada, Sharon Needles, já está confirmada para agosto deste ano.

Procurando também incentivar as drags locais, a @bsurda criou o concurso “Lipsync for your life”. O vencedor vai ganhar mil reais e será assessorado por uma equipe para lançar a carreira. Se gostou da iniciativa, não deixe de prestigiar todos os talentos de sua cidade, especialmente aquelas que ainda sofrem com o tabu de apresentar uma arte que desafia os padrões e a regras da sociedade. Dê uma oportunidade ao glitter e sashay away!

Regulamento do concurso e Formulário de inscrição.